Title Tag Google Imagens – Saiba Tudo Sobre a Atualização

Sem dúvidas você conhece muito bem o Google Imagens, certo? Super utilizado, assim, como o buscador padrão, o serviço faz parte do dia a dia de milhões de usuários frequentemente.

Com apelo visual sem igual, o recurso da Google torna as buscas mais intuitivas. Especialmente, se o objetivo for encontrar inspirações, passo-à-passos didáticos, entre outros, o que, inevitavelmente, acrescenta um valor imensurável à experiência.

Claramente, a gigante da internet sabe disso, ou melhor, têm ciência do potencial que o Google Fotos possui, especialmente, na atualidade, onde as pessoas, no geral, buscam por experiências mais rápidas, sem perder a relevância.

O sucesso dos conteúdos audiovisuais não nos deixa mentir. Concorda?

O Youtube, por exemplo, detém o segundo lugar quando o assunto é volume de pesquisas, perdendo, é claro, apenas, para o buscador da Google.

Diversas pesquisas apontam que, hoje, as imagens são capazes de satisfazer mais os usuários do que os conteúdos em textos, dependendo da plataforma de acesso, por exemplo.

O Facebooké um desses locais, onde o conteúdo visual vale mais do que mil palavras.

Enfim, fato é que não é de hoje que a gigante da tecnologia dá sinais de que o seu recurso de pesquisa por fotos é sim muito importante. Inclusive, do ponto de vista da qualidade da experiência do usuário.

Um deles é o bem desenvolvido sistema de ranqueamento de imagens. Que também acaba por favorecer sites e blogs que trabalham SEO nesse aspecto.

Você pode estar pensando…

  • Ok! Disso eu já sabia… Mas, o que esse assunto tem a ver com o título desse conteúdo?

Na verdade, tudo! A mais recente atualização da gigante tem relação direta com o Google Imagens.

Especialmente, sob esse aspecto que estávamos conversando anteriormente. A novidade visa aperfeiçoar, ainda mais, a resposta visual do conteúdoatravés das imagens.

Quer entender melhor? Então vem com o Mestre do Adwords saiba tudo sobre a atualização do Title Tag Google Imagens.

O que é Title Tag Google Imagens e Como Vai Funcionar?

Como você já sabe, recentemente, foi anunciada uma atualização no Google Imagens. A Title Tag.

Trata-se de uma novidade que visa aperfeiçoar ainda mais a experiência do usuário que utiliza o buscador. O intuito é fazer com que seja possível encontrar respostas relevantes mais fácil e rapidamente através das fotos.

A mudança consiste em algo bastante básico, mas grandiosamente útil. A Google vai incluir títulos em uma espécie de legendanas fotos de seu buscador.

Em comunicado oficial, a marca diz acreditar que incluir esses dados entorno das imagens, faz com que o retorno das buscas seja mais nítido e útil aos usuários. Auxiliando-os a encontrar uma solução de maneira mais ágil.

Você não se enganou! Realmente, uma atualização de 2017, deu conta de acrescentar tags nas imagens.

No entanto, essa não se trata da mesma notícia. Na época, apenas, fotos de anúncios que se tratavam de receitas ou produtos, receberam tagsde suas categorias respectivamente.

Na ocasião, a Google também passou a exibir a URLrelacionada à imagem nos resultados. Com o objetivo de ser mais transparente com o usuário em relação as fontes das fotos.

Title Tag Google Imagens – Quais as Vantagens da Mudança?

Talvez, você não tenha conseguido visualizar as vantagens dessa mudança, mas há algumas.

Mesmo que exibir o título do post de cada foto pareça algo muito básico, o acréscimo da informação pode fazer com que o usuário tenha uma melhor visãosobre do que se trata o conteúdo.

E se engana quem pensa que essa visão se restringirá, apenas, à imagem! Na verdade, oferecer mais dados sobre a foto e a origem dela, permitirá que o usuário também consiga discernir se o site da imagem em questão pode oferecer mais conteúdos relevantes relacionados à temática da busca inicial que resultou na exibição da foto.

Nesse ponto, donos de sites e blogs que trabalharem adequadamente o SEO, poderão sair ganhando com a atualização também.

Quer um exemplo de como funcionará?

  • Hoje, se pesquisarmos no Google Imagens a palavra “mesa de jantar”, aparecerão diversas fotos do item nos resultados.
  • Agora, com a inclusão do Title Tag, se refizermos a busca, aparecerão diversas fotos do item, porém com descrições. Esse conteúdo descritivo é o título da publicação que utilizou a imagem exibida.

De imediato, tendo contato com o título, você saberá se aquela imagem é de um site de decoração ou de uma loja móveis, por exemplo.

  • Percebe que, dependendo da intenção da sua pesquisa, essa simples informação adicional pode melhorar admiravelmente a sua experiência?

Se você fizer uma busca para encontrar mais informações sobre o item, ali mesmo, no Google Imagens, será possível encontrar, fazendo com que a sua próxima ação seja mais simples e rápida.

O SEO Vai Ser atingido pela Atualização?

Falamos bastante sobre o SEO ao longo desse conteúdo, mas ainda não conversamos sobre o possível impacto que o Title Tag Google Imagens pode gerar sobre ele.

Bem, ainda não podemos provar com dados e nem dizer exatamente o que mudará, mas muito provavelmente o SEOserá atingido sim.

Por isso, é muito importante que você cuide muito bem de suas imagens, especificamente quanto a relação da ilustração com o seu conteúdo e, claro, o título.

Se possível, reanalise os seus materiais com o objetivo de se certificar de que os títulos condizem com o assunto tratado e com as imagens escolhidas.

Esse cuidado prévio lhe ajudará a obter melhores posições nos rankingsdo Google, logo quando a atualização for completamente implementada.

De acordo com a gigante da internet, a novidade chegará ao Google Imagens em todo o planeta nas próximas semanas. Ela será primeiramente aplicada ao aplicativo e nas pesquisas via mobile.

É isso! Esperamos que esse conteúdo tenha sido imensamente útil para você.

Desejamos-lhe sucesso sempre, a gente se vê.

Forte Abraço.

Facebook Disponibiliza Recurso para Identificação de Fake News

As últimas semanas não têm sido nada fáceis para o Facebook. Após o estouro de um grande escândalo, envolvendo a rede social mais popular do planeta. O assunto mais discutido se relaciona com a real segurança dos dados pessoais de usuários que utilizam a plataforma.

Em meio à tratativas e explicações, os responsáveis pelo Facebook, inclusive, seu proprietário, Mark Zuckerberg, têm sido cobrados não só por explicações e esclarecimentos quanto ao ocorrido, mas também por medidas que evitem um novo vazamentode informações que deveriam ser sigilosas.

O caso tem tanta gravidade, que acabou gerando um rombo bilionário nos cofres da rede social.

Há quem diga que esse é só o começo do fim do Facebook, outros acreditam que, em breve, haverá uma versão paga. Questão que, inclusive, não foi descartada por Zuckerberg, durante esclarecimentos às autoridades nos Estados Unidos.

Os rumores sobre o caso são, realmente, bastante amplos. Profissionais da área de marketing, estão preocupados com a possibilidade do fim da plataforma de Ads.

Por outro lado, há quem defenda a máxima de que: “Quando não se paga por um produto, você se torna o produto”, indiciando que o vazamento e a utilização de dados não são lá coisas tão absurdas.

Enfim! Polêmicas à parte, fato é que depois de tanto “barulho”, Mark Zuckerbergse viu obrigado a reformular e atualizar alguns pontos de sua plataforma.

Uma das mais recentes atualizações dão conta de um recurso que permite a identificação de Fake News.

Ao que tudo indica, os próprios usuários poderão fazer esse apontamento de forma simples e rápida!

Vem entender melhor o que essa mudança pode representar para usuários e profissionais que utilizam a rede social!

O Mestre do Adwordspreparou um conteúdo completo sobre assunto, especialmente, para você.

Facebook Mira Fake News como Medida Para Garantir Privacidade de Dados

Como você já sabe, a credibilidade do Facebook decaiu bastante diante dos últimos acontecimentos. Que evidenciou a fragilidade da privacidadedos dados de usuários que utilizam a plataforma.

Pressionados para que fossem apresentadas medidas que garantissem maior segurança, os responsáveis pela rede social expuseram, recentemente, como parte do pacote de medidas prometido, uma atualização que mira diretamente as Fake News.

Segundo informado, aparentemente, os próprios usuários, através de um recurso disponibilizado, poderão identificar as Fake News e fazer o apontamento diretamente na plataforma.

Para quem não sabe, Fake News trata-se de uma notícia falsa. Podendo ser, por exemplo, aquela matéria, ao qual você visualiza e desconfia fortemente de que não se trata de fatos!

  • Com certeza, você já deve ter tido contato com milhares delas enquanto navegava em sua timeline, não é?

Pois bem, parece que o Facebook encontrou uma solução para fazer com que, ao menos, elas sejam menos frequentes na rede.

O objetivo da atualização, provavelmente, é consertar um pouco a sua imagem “abalada” pelo escândalo, que envolveu a Cambridge Analytica e a eleição presidencial que levou Donald Trump ao cargo, através de uma maior sensação de segurança e confiabilidade.

O recurso de detecção de Fake News, por enquanto, só foi lançado oficialmente nos Estados Unidos, no entanto, tudo indica que, em breve, ele também será disponibilizado em outros países, incluindo, o Brasil.

Que foi citado nas declarações de Mark Zuckerberg, indicando que havia preocupações quanto às eleições brasileiras.

A esperança é que, diminuindo a dispersão das Fake News, a plataforma, no geral, se torne mais confiável.

Como Vai Funcionar o Novo Recurso de Detecção de Fake News do Facebook?

Ao contrário do que muita gente imaginou, o mecanismo por trás do recurso do Facebook tem um embasamento muito interessante.

Ele funcionará de forma a permitir que os usuários tenham acesso à dados mais profundos sobre o embasamento da notícia, matéria ou conteúdo. Será possível também ver quais amigos fizeram o compartilhamento.

A partir de um pequeno ícone localizado na lateral do título da matéria, os usuários poderão confirmar e checar dados, como:

  • A página ou veículoque fez a publicação do conteúdo.
  • Outras matérias produzidas ou publicadas pelo mesmo veículo ou página.
  • Quais seguidores ou amigos fizeram o compartilhamento desse conteúdo.

Dessa forma, oferecendo mais informações sobre o conteúdo, o Facebook acredita que será possível doutrinar os usuários da rede social a identificarem mais facilmente quando a notícia ou o material, no geral, não é verdadeiro e embasado em fatos.

Quais as Consequências Positivas do Recurso Contra as Fake News?

Com essa nova “tecnologia”, o Facebook tem mais potencial de garantir que notícias e conteúdos falsos, utilizados para induções propositais e persuasões tendenciosas a algo ou alguém, sejam evitadas.

Ou seja, levando em consideração o que ocorreu depois do vazamento de dados que foram, supostamente, utilizados na campanha de Donald Trump, o recurso vai agir para que esse tipo de situação seja previsto com antecedência, evitando impactos negativos.

O Facebook acredita que doutrinar os usuários para essa detecção é uma iniciativa forte com potencial de evitar o desvio de informação.

Quais as Consequências Negativas do Recurso Contra as Fake News?

Ainda falta aprimoramentos no recurso. Já que a rede social só poderá trabalhar, nesse primeiro momento, com conteúdos que foram lidos pelos usuários.

O que quer dizer que se você, apenas, interagir e reagir ao material pelo título, nada será feito.

Além disso, profissionais que utilizam a plataforma como canal de publicidade, compartilhando artigos e conteúdos promocionais, correm o risco de serem atacados por “concorrentes mal-intencionados”.

Essa é só uma das primeiras novidades trazidas pelo Facebook. Isso porque, em breve, a rede social trará um pacote de medidas completo que, possivelmente, mudará bastante o que conhecemos da plataforma atualmente!

O próximo ataque, ao que tudo indica, será direcionado aos perfis falsos!

E, aí? O que você achou da novidade?

Acredita que a mudança pode impactar em outras coisas?

Conte sua opinião para nós!

Desejamos-lhe sucesso sempre, a gente se vê.

Forte Abraço.

Checklist SEO – Confira Estes Pontos Antes de Divulgar Seu Site

Está prestes a lançar e divulgar seu site? Antes que a empolgação tome conta e você, finalmente, dê vida ao projeto, responda com sinceridade:

  • Você tem certeza da consistência da sua estratégia de SEO?

Pois bem, se você hesitou na resposta, não se preocupe tanto assim!

É comum que os empreendedores e marqueteiros foquem mais sua atenção em outros pontos, como o design e a navegabilidadedo site durante o projeto, embora isso não seja o mais adequado.

Você não é o único que, prestes a divulgar seu site, repensa se o SEO aplicado é o suficiente. Afinal, embora “invisível” aos olhos de muitos, esse conjunto de técnicas é responsável por grande parte dos seus resultados, incluindo o potencial da atração de tráfego e conversões.

Por outro lado, é importante que você não divulgue o seu site antes de se assegurar que ele é competitivo em parâmetros de otimização. Caso contrário, a sua concorrência poderá ser implacável!

Ficou inseguro? Não precisa adiar nada por tanto tempo assim, basta apenas conferir o checklist SEOque preparamos para você, antes de divulgar seu site!

Vem com o Mestre do Adwords!

1˚ – Cheque a Velocidade de Carregamento das Suas Páginas

Não é de hoje que a Google vem demonstrando que a velocidade de carregamento das páginas do seu site é um ponto imensamente importante para a boa experiência do usuário.

No entanto, esse critério ganhou ainda mais relevância, quando a navegação passou a ser massivamente realizada através dos smartphones e aparelhos mobile no geral.

Por isso, atualmente, a velocidade do seu site conta como critério de ranqueamento. Além de influenciar bastante nas suas taxas de retenção e de rejeição.

Então, antes de divulgar seu novo projeto, certifique-se de que seu site está carregando rapidamente, incluindo, é claro, quando ele é acessado via dispositivos móveis.

Não sabe como fazer isso?

Sem problemas, a própria Google oferece uma ferramenta de análise, onde, inclusive, é possível verificar sugestões dos pontos que podem ser otimizados e, portanto, aumentar a velocidade de carregamento das suas páginas.

O Page Speed Insightsé muito útil e simples de ser utilizado! Basta que você acesse a ferramenta, insira a URL que deseja testar e clicar no botão para “Analizar”.

A ferramenta lhe exibirá uma nota, ela se refere ao nível de adequação da velocidade do seu site. Você ainda pode verificar a aba Desktop e Mobilee, assim, conferir as sugestões para melhorias.

2˚ – Cheque Se a Sua Estratégia Está Dentro do Movimento Mobile First

Como falamos acima, o modo como as pessoas acessam a internet mudou e, por isso, atualmente, a Google está priorizando no ranqueamento os sites que priorizam suas versões mobile.

Isso foi evidenciado pelo projeto da gigante da internet, nomeado Mobile First! Ele consiste em incentivar e apoiar profissionais a investirem na experiência mobile, antes da Desktop.

Se você quer ter certeza de que está utilizando todo o potencial do seu projeto, cheque se a sua estratégia está dentro do movimento mobile first.

3˚ – Cheque Se Você Já Tem Uma Programação de Conteúdos Prontos

Muitos profissionais, equivocadamente, lançam e passam a divulgar seus sites, antes de ter uma programação de conteúdosprontos.

Isso quer dizer, eles lançam e divulgam primeiro o site e depois vão pensar em produzir conteúdos, no tipo de postagem que farão, na regularidade que eles serão disponibilizados e tudo mais.

Talvez, você não saiba, mas isso pode prejudicar e muito seus resultados!

Apesar de pouca gente falar, o ideal é que se tenha um estoque de “conteúdos”, com planejamento de postagem em cronograma, para que a regularidade prevista na estratégia, se mantenha!

Se você é experiente, sabe que o marketing de conteúdoestá intimamente ligado ao SEO, atração de tráfego orgânico, entre outras coisas importantes para conquistar mais conversões.

Por isso, cheque com atenção se você já tem uma programação de conteúdos prontos e que eles são o suficiente para manter a consistência das postagens, até que novos sejam produzidos.

Não cometa o erro de lançar e divulgar seu site, antes de ter um bom estoque de conteúdo relevante! Isso pode levar à sua potencial audiência a desconfiar do seu negócio.

4˚ – Cheque Se o Analytics e Seach Console Estão Ativos

Sem o monitoramento de métricas, o seu site está fadado ao fracasso. Em se tratando de SEO, onde é necessário analisar o desempenho e o comportamento das estratégias para aplicar otimizações, isso é ainda mais importante.

Por isso, não divulgue seu site, antes de ter certeza que o Analytics e o Search Consoleestão ativos.

Não sabe como ativá-los, tudo bem, a gente explica!

No caso do Analytics, basta que você:

  • Faça login em sua conta ou crie uma.
  • Então vá até configurações de usuário, clique na aba “Administrador” e em seguida em “Criar uma Conta”.
  • Você verá alguns blocos para preencher, basta colocar as informações solicitadas nos espaços correspondentes.

Ao final, clique em “Ver ID de Acompanhamento”. O número gerado é o de rastreamento do Analytics.

Ele deverá ser instalado no código do seu site! Caso esteja trabalhando com o WordPress, basta fazer esse processo através de plug-ins, como o Yoast SEO.

Tudo pronto em seu Analytics? Agora vá ao Search Consolee inclua seu site.

Para tal, basta:

  • Logar na sua conta!
  • Na página inicial, clique em “Adicione Propriedade”.
  • Abrirá um bloco, onde você deve colocar a URL do seu site.
  • Depois, vai ser preciso verificar a propriedade.
  • Para tal, você precisará colar a metatag indicada pela Google no código html da página inicial do seu site. Na seção <head>, antes de <body>.

5˚ – Cheque Se Você Já Criou o XML Sitemap do Seu Site

Para quem não sabe, o Sitemap é uma espécie de mapa da estruturado seu site em URL’s.

Ele é importante para que os boots dos mecanismos de buscas possam “ler” e indexar seu sitede maneira mais organizada e simples.

Quando você tem um sitemap, também pode estipular o que a Google, por exemplo, pode acessar ou não.

Indexando com prioridadesó o que é interessante, lhe dando mais chances de conseguir melhores posições nos rankings de pesquisas.

Para criar um sitemap, existem várias formas, inclusive, gratuitas. Por meio de uma pesquisa rápida, você encontra dezenas de opções. O processo é bem simples e rápido.

Só não esqueça que depois de criá-lo, você precisará adicioná-lo no Webmaster Tools.  Para isso, basta acessar a sua conta, clicar em “Otimização”, depois em “Sitemaps” e, por fim, em “Adicionar/Test Sitemap”.

 

Pronto! Esperamos ter lhe ajudado. Em caso de dúvidas, escreva para nós!

Desejamos-lhe sucesso sempre, a gente se vê.

Forte Abraço.

Pesquisa de Marketing – Como Fazer de Forma Assertiva?

Quando se trata de pesquisa de marketing, muitos profissionais da área, inclusive, os experientes, ficam com dúvidas. Entre as questões mais apresentadas sobre o assunto, então:

  • Quais são as etapas da pesquisa de marketing?
  • Existem vários tipos de pesquisa de marketing?
  • Pesquisa de mercado e pesquisa de marketing são diferentes?
  • Para que serve uma pesquisa de marketing?
  • Como se desenvolve uma pesquisa de marketing?
  • Como fazer uma pesquisa de marketing?

Você também se identifica com esses questionamentos? Já se fez essas perguntas várias vezes, mas nunca conseguiu encontrar respostas concisas?

Pois é, ainda hoje, mesmo com o marketing digital bem desenvolvido e vastamente aplicado, muitos ainda procuram por exemplos de pesquisa de marketingpara desenvolver a sua.

Você já fez isso, não é?

Tudo bem, não se culpe! Essa é uma estratégia ainda pouco dominada, por isso, nós queremos lhe ajudar a entendê-la e utilizá-la melhor.

Vem com o Mestre do Adwordse descubra não só as respostas para as perguntas apresentadas no início, como também como fazer a sua pesquisa de marketing de forma assertiva!

Afinal, o que é pesquisa de marketing?

Por definição, uma pesquisa de marketingnada mais é que uma estratégia utilizada para captar informações sobre o mercado que se deseja atuar.

Basicamente, os dados que se visa colher resumem-se a atingir o objetivo de:

  • Entender como o público alvo se comporta.
  • As estratégias utilizadas pelos concorrentes.
  • E, claro, descobrir oportunidades e falhas que podem ser tiradas de base para a criação de uma estratégia de marketing mais efetiva.

A pesquisa de marketing é importante para qualquer tipo de negócio, pois ela garante que as suas estratégias sejam construídas e trabalhadas fundamentadas em informações concretas e legítimas.

Esse tipo de pesquisa também pode ser muito útil para otimizar estratégias que já foram implementadas, mas não estão oferecendo os resultados almejados.

Então, se você precisa encontrar novas oportunidades, otimizar as suas estratégias, captar mais leads, fazer benchmarking, ou basear a tomada de decisões, provavelmente, fazer uma pesquisa de marketing é o ideal!

Pesquisa de mercado e pesquisa de marketing são diferentes?

Ao contrário do que muitos pensam, a resposta para essa pergunta é sim! Pesquisa de mercado e de marketing são diferentes.

De fato, elas são bastante similares, no entanto apresentam disparidades suaves que as tornam distantes.

Uma das diferenças principais entre uma pesquisa e outra, tem a ver com o que se busca conquistar através de cada uma.

O objetivo de uma pesquisa de marketing, como falamos acima, leva em consideração, apenas, aspectos que podem contribuir para analisar o ambiente do ponto de vista mercadológico, verificando informações para criar uma persona, ou estabelecer a concorrência, por exemplo.

Por outro lado, a pesquisa de mercado tem uma ação de análise mais restrita quanto ao negócio em questão. Levando em conta informações que permitam entender como o potencial cliente enxerga a marca, os itens comercializados por ela, o relacionamento entre negócio e consumidor, entre outros pontos inerentes ao setor.

Basicamente, podemos dizer que quando se busca:

  • Entender a competitividade do mercado.
  • Desvendar diferenciais.
  • Buscar oportunidades.
  • Conhecer melhor os comportamentos do potencial consumidor de determinado nicho.
  • Descobrir concorrentes e suas ações.

Deve-se utilizar a pesquisa de marketing!

Agora, se você deseja:

  • Entender como o seu cliente lhe enxerga.
  • Qual a opinião dele sobre o seu serviço/produto.
  • Como a sua marca está posicionada no setor de atuação.
  • Qual o seu nível de autoridade no nicho.

Então, uma pesquisa de mercadoé mais adequada!

Depois de saber tudo isso, você pode querer questionar…

Existem vários tipos de pesquisa de marketing?

A resposta, mais uma vez, é sim! Existem diversos tipos de pesquisa de marketing. Isso porque, eles variam de acordo com o objetivoque você tem quando a produz e a aplica.

Pense com a gente…

Se você fizer uma pesquisa de marketing com o objetivo de estudar seus concorrentes, provavelmente, ela será diferente daquela que você produziu anteriormente, para entender melhor o seu público alvo.

Concorda?

Aqui, vamos nos atentas apenas aos tipos principais, os mais utilizados. Ok?

São eles:

  • Pesquisa de Marketing Conclusiva: Um dos mais utilizados, esse tipo de pesquisa tem o objetivo de coletar dados que possam levar à uma conclusão clara. Então, geralmente, ela apresenta-se com perguntas diretas que direcionam a respostas conclusivas. Apesar disso, há dois métodos que podem ser aplicados na pesquisa de marketing conclusiva.
  1. Descrição: Nesse caso, a pesquisa tem o objetivo de encontrar soluções e/ou respostas para um ponto exclusivo e exato, analisando acontecimentos e procurando apresentá-los. Assim, passa-se a mensurar e compatibilizar essas informações, as decodificando no intuito de chagar à uma resposta conclusiva.
  2. Experimento: Já no experimento, a pesquisa quer entender qual é a magnitude de um acontecimento e também o porque. Para encontrar essas respostas, geralmente, se usa um experimento. Como uma espécie de teste A/B.
  • Pesquisa de Marketing Exploratória: Como falamos, o que tipifica a pesquisa é o seu objetivo. No caso da exploratória, se visa explorar questões não muito bem esclarecidas em outros estudos e análises. Ela ainda é empregada quando há a detecção de um problema de pesquisa. Por isso, na grande maioria das vezes, ela é feita anteriormente ao último estudo.

De maneira geral, a pesquisa de marketing exploratória é exatamente o que seu nome sugere. Ou seja, um levantamento utilizado para explorar uma temática mais profundamente, ou como forma de apoio à outra pesquisa que não evidenciou claramente o ponto.

Quais são as etapas da pesquisa de marketing e Como Fazer de Forma Assertiva?

Dependendo do tipo de pesquisa de marketing que você fizer, as etapas podem variar. No entanto, de modo geral, podemos dizer que existem 6 etapas. São elas:

  1. Estipulando o Objetivo/Problema: Geralmente, uma pesquisa de marketing é adotada quando ocorre um problema ou surge um novo objetivo no negócio ligado às estratégias correlatas ao assunto. Por isso, a fase de definição de objetivo/problema é a número 1.

 

Por exemplo, você percebe que um de seus produtos não está convertendo como deveria e precisa melhorar a técnica de divulgação. Para chegar à uma conclusão mais assertiva de quais medidas e mudanças devem ser aplicadas, você recorre à uma pesquisa de marketing, para coletar dados relevantes, reais que basearão a otimização posterior.

 

  1. Concepção e Elaboração do Plano de Pesquisa: Nessa etapa, você vai definir o que será pesquisado. Quais informações precisarão ser captadas. Qual tipo de pesquisa e/ou método será aplicado. A qual público ela será direcionada.

 

  1. Captação de Dados: Aqui, é onde efetivamente se aplicará a pesquisa. Onde os dados serão deixados ou expostos, dependendo do canal escolhido para implementação.

 

  1. Mensuração e Análise: Depois que o público alvo tiver respondido as questões e o tempo de pesquisa estiver esgotado, é hora de fazer a mensuração e análise dos dados coletados. Você deverá agrupar e compatibilizar cada resposta e, assim, interpretar as métricas para, enfim, criar um relatório completo.

Não se esqueça de que esse relatório deve conter dados como a data da realização da pesquisa, o canal utilizado, o objetivo, o tempo de exposição, o número de pessoas que respondeu, o perfil do público, as variações dos resultados, conclusões, curiosidades, entre outras informações relacionadas que podem ajudar em uma análise futura, por exemplo.

  1. Apresentação dos Resultados: Aqui, basicamente, é a etapa onde você fará a apresentação das conclusões, do relatório aos interessados e envolvidos nesse projeto.

 

  1. Tomada de Decisão: Se a pesquisa de marketing realizada foi feita com o objetivo de melhorar uma área ou um item comercializado em seu negócio, essa é a etapa onde você se reunirá com a sua equipe e sócios para discutir e debater os resultados, visando encontrar soluções baseadas no que foi evidenciado no levantamento.

 

Percebeu como se desenvolve uma pesquisa de marketing?

Se você analisar e se basear nas etapas básicas, fica muito mais simples saber como fazer uma pesquisa de marketing assertivamente, sem precisar apelar para exemplos prontos disponibilizados na internet!

Que podem não ser tão adequados ao seu objetivo, comprometendo a sua análise e, consequentemente, seus resultados.

É isso! Esperamos ter lhe ajudado.

Desejamos-lhe sucesso sempre, a gente se vê.

Forte Abraço.

7 Vantagens que Só Um Evento Presencial Pode Lhe Oferecer

Estamos próximos de mais uma temporada de eventos no marketing digital. Já fez a seleção de quais deles você marcará presença em 2018?

Não?

  • Você é do tipo de profissional que não vê importância em ir aos eventos presenciais?

Calma, você não é o único! Muita gente pensa dessa forma… Os motivos para tal são muitos!

  • Experiências de pouca qualidade.
  • Preço.
  • Temas incompatíveis com o esperado e/ou profissional.
  • Público alvo distante da realidade do visitante.

Enfim, obviamente, para que um evento apresente vantagens, é necessário fazer uma seleção cuidadosa, antes de confirmar a sua presença.

É necessário saber se o público, as temáticas, os profissionais palestrantes, a área de abordagem, batem com a sua expectativa e perfil.

Apesar disso, de maneira geral, pelo menos no Brasil, as opiniões se dividem e o comportamento também, uns ficam muito empolgados e engajados nos eventos, aproveitam cada particularidade para gerar oportunidade.

Outros, não conseguem enxergam vantagens em estar ali, então encaram tudo como uma obrigação, algo sem tanta importância, mas que “faz parte”.

  • Independente de qual seja a sua opinião sobre o assunto, você já parou, de verdade, para analisar quais vantagens só um evento presencial pode lhe dar?

Não?

Então vem com o Mestre do Adwords!

Nós não estamos aqui hoje para tentar lhe convencer de nada, apenas, queremos lhe apresentar algumas peculiaridades que só esse tipo de ocasião pode oferecer.

Dessa forma, você poderá formar ou reformular sua opinião. Combinado?

Confira tudo!

1ª Vantagem – Um Evento Presencial Oferece Networking como Ninguém

Uma das vantagens registradas de um evento presencial é a de oferecer networkingcomo ninguém.

Isso porque, a configuração desse tipo de ocasião torna tudo muito favorável para que os profissionais que ali estão troquem “figurinhas”, conversem, debatam, interajam, troquem contatos…

Muitas vezes, esse tipo de contato surge muito naturalmente, em um comentário sobre a palestra, na hora do coffee break, porque um parceiro antigo lhe apresenta para um outro amigo.

Enfim, dificilmente você conseguirá usufruir de um networking como o oferecido por um evento, principalmente, se ele reunir profissionais da sua área de atuaçãoe/ou interesses.

2ª Vantagem – Um Evento Presencial Desvenda Tendências em Primeira Mão

Quando você vai à um evento e usufrui das palestras, automaticamente, consegue a vantagem de ter contato, em primeira mão, com tendênciasque não serão reveladas, tão cedo, em outro local.

Geralmente, os palestrantes que são convidados para subir ao palco, são aqueles que possuem os melhores resultados, que são autoridades em suas áreas, por isso, podem lhe trazer informações capazes de desvendar o que será muito utilizado no próximo ano.

Obviamente, essas tendências têm grande potencial de lhe proporcionar mais conversões.

Se tratando de marketing digital, esse tipo de vantagem é ainda mais recorrente, uma vez que estamos falando de uma área, relativamente, nova!

Onde as novidades, seja em estratégias, técnicas, plataformas, estudos, são muito comuns.

3ª Vantagem – Um Evento Presencial Oferece Aprendizagem de Alto Nível

Não tem jeito, quando você tem, em um único ambiente, os melhores profissionais reunidos e dispostos à interagirem em prol de um mercado melhor, a aprendizagem ocorre em alto nível.

Em um evento presencial, as oportunidades de adquirir conhecimento de qualidade surgem de todas as partes.

Dos palcos, dos contatos no networking, durante uma conversa despretensiosa na hora do almoço.

Pense bem, esse tipo de ocasião lhe permite fazer parte de uma experiência imersiva, rica em conteúdos relevantes, que dificilmente um curso de meses, poderia lhe oferecer.

4ª Vantagem – Um Evento Presencial Oferece Ambiente Ideal para Insights

Um evento presencial, por contar com a presença de especialistas, profissionais experientes e iniciantes, acaba por se transformar em um ambiente rico de pensamentos, ideias e dicas relevantes. Que podem lhe servir de insights poderosospara o seu negócio.

Às vezes, nem acontece propositalmente, mas uma visão diferenciada do seu negócio, técnica que está aplicando ou público alvo, externalizada em um bate papo ou nos palcos, por exemplo, pode fazer com que o seu mindset se transforme, e o faça enxergar coisas que não via antes.

O conhecimento adquirido também, por meio de um lançamento de um produto ou serviço durante o evento, também pode lhe oferecer insights incríveis para melhorar os seus resultados ou resolver pontos frágeis em seu negócio.

Pode acreditar, é inevitável! Quando você sai de um evento relevante, suas visões se reformulam, seus pensamentos se transformam e as oportunidadesse multiplicam.

5ª Vantagem – Um Evento Presencial Traz a Oportunidade de Formar Parcerias

Como já era de se imaginar, quando você está em um evento presencial, interagindo com centenas de outros profissionais, extremamente engajados, as chances de formar parceriassão incrivelmente altas.

Ali, a maioria das pessoas compartilha de um mesmo propósito, ou seja, conquistar melhores resultados.

Claro, alguns vislumbram ter insights, outros, maior conhecimento sobre a área, ainda há os que procuram por oportunidades de networking, mas no final, o desejo é único, encontrar formas de melhorar seus resultados!

Diante desse desejo e do ambiente propício para interação, muitos acabam por encontrar sócios, parceiros, até mesmo, investidores em eventos!

6ª Vantagem – Um Evento Presencial Lhe Permite Enxergar o Mercado Melhor

Ter contato com diversos profissionais, dos mais diferentes locais do Brasil e, às vezes, até do mundo, lhe permite enxergar o seu mercado de maneira mais ampla, concorda?

Em um evento presencial, estabelecer esse contato não é só possível, como também há a possibilidade de pedir opiniões e avaliações de especialistas sobre a área em que atua.

Diante da sua interação com outros profissionais e das informações colhidas através dela, você também pode fazer a sua avaliação pessoal sobre o setor.

7ª Vantagem – Um Evento Presencial Lhe Permite Fechar Novos Negócios

Assim como um evento lhe entrega a oportunidade de formar parcerias, ele também lhe permite fechar novos negócios.

Porque não aproveitar a presença de potenciais clientes, para se apresentar de maneira relevante, gerar interesse e atrair mais conversões?

É claro que não é preciso ficar fazendo isso o tempo todo, o próprio ambiente vai lhe apresentar chances de “vender” as suas soluçõesde maneira natural.

 

E, aí? O que achou do conteúdo? Já tem uma opinião sobre as vantagens que só um evento presencial pode lhe oferecer?

Esperamos que tenha gostado.

Desejamos-lhe sucesso sempre, a gente se vê.

Forte Abraço.

Quero abrir um negócio e não tenho dinheiro – Como Conseguir?

Pode ser que devido ao cenário atual, com resquícios ainda fortes da crise que abateu o país, você tenha pensado várias vezes: Quero abrir um negócio e não tenho dinheiro! Como posso conseguir? Isso é possível?

Saiba que você não está sozinho nessa situação! Muitos profissionais, brasileiros, com espírito empreendedor, passaram e ainda passam por isso, afinal, uma das principais barreiras para conquistar o objetivo de ter seu próprio negócio, é a financeira!

  • Será que é possível, de verdade, começar um negócio do zero?
  • Será que não ter dinheiro é impeditivo para não levar o seu projeto adiante?

De imediato, nós, do Mestre do Adwords, temos duas excelentes notícias para você.

Primeira, apesar de parecer um sonho distante, sim é possível começar um negócio do zero e conquistar o sucesso.

E, segunda, não ter um orçamento positivo não é motivo para que você não abra o seu negócio.

Gostou das notícias, mas não sabe como conseguir abrir um negócio sem ter dinheiro?

Então vem com a gente!

Preparamos, através desse conteúdo, algumas dicas simples, mas poderosas que são capazes de lhe fazer avançar rumo à realização do seu sonho.

Não perca tempo, pois quanto antes você começar, mais rápido os resultados surgirão.

Preparado? Então confira tudo e anote, caso acredite ser necessário consultar depois!

1ª Dica – Elabore um Plano de Negócio Completo

Provavelmente, se você estudou o universo empreendedor, já sabe do que se trata um plano de negócio, certo?

Bem, ele é bastante importante para que a sua grande ideia seja realmente viabilizada, não só por você, mas por outras pessoas, que possivelmente, possam vir a ser parceiros e/ou investidores.

Antes que você diga que não tem dinheiro para elaborar um plano de negócio completo, saiba que é possível fazê-lo, sem ter que investir nada, à não ser sua dedicação e tempo.

Você pode estar se perguntando nesse momento:

  • Ok, então como fazê-lo?

Inicialmente, o que você deve ter em mente é que o seu plano de negócio tem como um dos objetivos principais “apresentar” a sua grande ideia à outras pessoas. Isso fará com que você tenha cuidado aos detalhes, expondo asbases e as estruturasque podem fazer o seu negócio dar certo!

O segundo passo é estudar ao máximo todos os âmbitos que o seu negócio interage. Ou seja, mercado, concorrentes, público alvo, valor de investimento, de início e ao longo do tempo.

Claro, a partir dessas informações, você apontará no seu plano quais são as metas, objetivos, ações, estratégias, entre outras coisas, para abrir e manter o seu negócio.

Ao criar um plano de negócio completo, você terá uma visão mais amplasobre as possibilidades e os riscos, tornando mais fácil também proporcionar que outros possíveis interessados possam enxergar do seu ponto de vista!

Não se esqueça também de incluir nesse plano, ao menos, uma projeção de investimento financeiro, bem completa e exemplificada em seus detalhes. Isso vai otimizar as suas ações como um todo, inclusive, em nível de prioridades.

2ª Dica – Aposte nas Soluções do Mercado Digital

Um dos grandes diferenciais do mercado digital, é que ele trouxe aos pequenos e médios negócios, a possibilidade de terem em mãos excelentes soluções com menor custo.

Por exemplo, se você tem o sonho de abrir um negócio, pode utilizar o mercado digital para trabalhar o marketing, sem ter que investir rios de dinheiro para chegar ao objetivo.

Outro aspecto bastante positivo é que diante da internet, hoje, não é mais obrigatoriamente necessário ter um negócio físico, com dezenas de funcionários, com estrutura repleta de máquinas…

Enfim! Você pode começar a trabalhar dentro da sua própria casa ou no escritório em horários livres. Não precisa deixar seu emprego, caso tenha, para se dedicar exclusivamente ao novo negócio. É totalmente possível conciliar, até que haja uma estrutura mais forte.

O que estamos tentando lhe dizer é que, provavelmente, a sua ideia pode ser transformada em um negócio digitalmais enxuto, pelo menos no início, o que vai lhe proporcionar construí-lo mesmo não tendo dinheiro.

3ª Dica – Cogite Usufruir de Linhas de Crédito

Atualmente, o empreendedor pode contar com diversas opções de linhas de crédito. Tanto específico, como investidores especializados em áreas de mercado, quanto padrões, como os bancos em geral.

A verdade é que, por mais que seu negócio não precise de dinheiro para ser aberto, para crescer, ele provavelmente, precisará de algum incentivo financeiro, mesmo que reduzido.

Por isso, uma das suas opções para não deixar seu sonho para depois é cogitar usufruir de linhas de crédito disponíveis.

Verifique com o seu banco, com investidores-anjo, com possíveis sócios ou até mesmo em programas de incentivo oferecidos pelo governo.

Há também espécies de concursos que oferecem aportes como premiações, no caso de startups, por exemplo!

Em todo o caso, como falamos no início, vai ser muito importante que tudo esteja organizado, que seu plano de negócioseja completo e bem executado e, claro, em caso de empréstimos, que seu nome esteja apito para conquistar o crédito.

4ª Dica – Use Suas Habilidades para Conquistar Parceiros

Embora sejam importantes, as parceiras financeiras não devem ser as únicas que você deve procurar conquistar!

De maneira geral, um negócio precisa de outros incentivos para crescer e ser consolidado. Concorda?

Por exemplo, que tal fechar uma parceria para divulgação? Indiretamente, você pode estar abrindo portas para gerar lucros. Um bom canal que conversa com a audiência que você deseja atingir, pode ser um excelente parceiro.

Assim como uma parceria com um fornecedor, pode lhe oferecer maiores oportunidades de se destacar em seu mercado.

Aí, você pode querer dizer:

  • Como eu vou fazer para conquistar esses parceiros?

A resposta é simples! Utilizando as suas habilidades. Como a sua boa comunicação, o seu entusiasmo, o seu plano de negócio, a sua persuasão.

Consegue visualizar que o dinheiro não é tudo quando o assunto é abrir um negócio?

Talvez, estar nos lugares oportunos na hora ideal, lhe dará maiores chances de encontrar o sucesso, do que se você tivesse verba o suficiente para investir!

Agora é com você.

Esperamos ter lhe ajudado.

Desejamos-lhe sucesso sempre, a gente se vê.

Até logo!

Facebook Pixel – Saiba o Que É, Como Instalar e Utilizá-lo

Provavelmente, você já ouviu falar no Facebook Pixel, mas há muitas chances também de que não saiba exatamente do que se trata e, muito menos, como utilizá-lo adequadamente.

Acertamos?

Tudo bem, se esse for o seu caso, não se preocupe!

Embora essa falta de conhecimento possa ser prejudicial para os seus rendimentos, trata-se de uma situação totalmente reversível!

E, hoje, o Mestre do Adwordsestá aqui para lhe ajudar justamente a entender tudo de mais importante sobre o assunto.

Você vem com a gente?

Descubra agora de maneira simples, rápida e descomplicada o que é o Facebook Pixel, como instalar, utilizá-lo e muito mais!

Afinal, o que é Facebook Pixel?

Sem muitas delongas, o Facebook pixel é, nada mais, que um recurso oferecido pela rede social mais popular do planeta.

Suas principais funções são realizar o monitoramentoe a geração de relatórios com métricas, que têm o potencial de melhorar o desempenho de suas campanhas, se analisadas corretamente.

A ferramenta é disponibilizada para anunciantes do Facebook Ads e é instalada através de um código que é inserido em páginas do seu site/blog.

Como funciona o Facebook Pixel?

A partir do momento que você instala o pixel do Facebook em suas páginas, o monitoramento das ações do seu tráfego começa a funcionar.

Com isso, é possível que você conheça melhoresse potencial cliente, entendendo seus comportamentos e necessidades.

De maneira geral, o funcionamento do pixel lhe permitirá otimizar campanhasdo Facebook Ads, atraindo melhores resultados.

É possível aplicar o recurso com o objetivo de criar campanhas de retargeting. Desse modo, você consegue abordar novamente um potencial consumidor que demonstrou interesse em um primeiro momento, mas por algum motivo ainda não converteu.

Por exemplo…

Se você tem o pixel instalado no seu site, certamente conseguirá descobrir que determinado usuário acessou a página de um produto e não o comprou!

Para tentar fazer com que ele volte e realize a aquisição, você pode usar os dados colhidos pelo pixel para direcionar uma campanha do Face Ads a ele, apresentando um desconto para a compra do produto.

Quer acompanhar as conversões?O código também lhe permite fazer isso!

Independente de qual seja a ação definida como conversão, o pixel pode lhe entregar dados poderosos, capazes de tornar a mensuração dos seus resultados algo muito simples e claro.

Por exemplo, se você quiser saber o seu ROIem relação a essa conversão, bastará verificar o relatório.

Com um mecanismo inteligente, o recurso oferecido pelo Facebook analisa os perfis dos usuários que realizaram conversões e passa a buscar padrões parecidos, lhe dando a oportunidade de criar campanhas efetivamente mais bem direcionadas.

Interessante, não?

Quer saber como criar e instalar o Facebook Pixel?

Então continue com a gente.

Como criar o meu Facebook Pixel?

Apesar de não parecer, criar um pixel do Facebook para você não é uma tarefa complexa. Muito pelo contrário, em alguns segundos é possível concluir a ação com sucesso.

Para começar, basta que você faça logincom a conta desejada no Facebook e vá até ao Gerenciador de Anúncios.

Chegando lá, siga o passo-à-passo simples:

  1. Procure pelo botão “Criar um Pixel”, caso não encontre, pesquise por esse nome na barra de pesquisas, localizada na parte superior direita.

 

  1. Ao encontrar, clique no botão verde com essa inscrição, em seguida nomeie o seu pixel. Atenção, coloque um nome que você consiga identificar facilmente depois, para que não haja equívocos nas atribuições e análises futuras.
  2. Chegou o momento de aceitar as condições, políticas e termos. Nós sabemos que você quer terminar logo, mas não deixe de ler tudo, antes de clicar na opção “concordo”.
  3. Passada essa etapa, agora é só selecionar “Criar Pixel”.

Assim que você finalizar esses passos, visualizará um código, trata-se do famoso Pixel do Facebook. Copie-o e guarde para consultar em breve.

Já finalizamos a primeira etapa, mais inda não acabou!

Vai ser preciso que você realize a instalaçãodele em seu site/blog.

Atenção: Pode ser que por um acaso, você já tenha criado um pixel em outro momento, mas não sabe. Para verificar se ele existe, basta ir ao gerenciador e clicar no botão “Configurar Pixel”. Nessa página, caso exista, você visualizará o código.

Como Instalar o Facebook Pixel em Meu Site?

Existem diversas maneiras de instalar o Facebook Pixel e, na grande maioria das vezes, tudo dependerá da plataforma que você utiliza.

De maneira geral, independente do site, o pixel do Facebook deve ser colocado no cabeçalho html, entre os códigos <Head> e </Head>.

No entanto, como sabemos que a maioria das pessoas utiliza WordPress, nós vamos ensinar como fazer a instalação nessa plataforma.

Siga os seguintes passos:

  1. Vá até o menu de configurações do seu tema no WordPress.
  2. Procure pela Aba “Header and Footer Scripts”.
  3. Lembra do código que você guardou na primeira etapa? Pegue-o e cole dentro do box. Salve.

Outra opção para instalar e configurar o pixel de maneira mais completa é utilizar os plug-ins disponíveis para WordPress.

Um deles é o OptimizePress! Para utilizá-lo, basta:

  • Entrar na sua conta.
  • Ir até a “loja”de plug-ins e buscar por “OptimizePress”.
  • Faça o Download e a instalação.
  • Abra o plugin, localizado na lateral, ao lado esquerdo da tela.
  • Selecione o Dashboard e em seguida vá ao “Analytics and Tracking”.
  • Localize o primeiro bloco, esse é o espaço destinado ao pixel. Cole o código e clique em “Save Settings”, na parte inferior direita da página.

Pronto! Agora seu pixel já está instalado!

Como instalar o Pixel do Facebook Via Gerenciador de Tags do Google?

Pode ser que, mesmo lhe mostrando as opções acima, você prefira, assim como diversos outros anunciantes, instalar o pixel do Facebook via gerenciador de tags do Google.

Para isso, você vai precisar:

  • Acessar o Google Tag Manager
  • Logar na sua conta.
  • Clicar no botão para adicionar uma nova tag.
  • Clique em “Configurações da Tag”.
  • Selecione a opção “Html Personalizado”
  • Cole o código gerado na criação do pixel.
  • Marque a opção “Uma vez por página” na aba “Definições Avançadas”.
  • Selecione “Triggering”.

Não esqueça de verificar se a opção, “Todas as páginas”, está marcada. Agora, basta nomear e salvar a sua tag. Clique em publicar.

Agora é com você! Tudo está pronto para que coloque a mão na massa e aproveite o melhor que o recurso tem a lhe oferecer.

Esperamos ter lhe ajudado.

Forte Abraço.

3 Conselhos Sobre Marketing Digital que Você Deve Ignorar

Quando se trata de marketing digital, é inevitável que surjam milhares de conselhos de todos os lados.

Sejam de especialistas, amigos ou profissionais que testaram e aprovaram técnicas e estratégias.

É quase impossível escapar ileso de um palpite quando o assunto é esse, não é mesmo?

  • Mas, você já parou para pensar quando você deve aceitar e quando ignorar esses conselhos?

É bem complicado encontrar uma resposta padrão para essa situação. Já que como costumamos dizer sempre, não existe ainda uma fórmula perfeita que se encaixe em todos os negócios, quando o assunto é marketing digital.

Estamos lhe dizendo isso porque esse é um setor do mercado, relativamente novo. Apesar de já haver opções de cursos, ainda não há alternativas que formem profissionais de maneira suficientemente aprofundada.

Pode investigar! A maioria das pessoas que já estudou o marketing digital por meio de cursos, tem a sensação de que não obteve o suficiente.

  • A culpa é da faculdade, do produtor do curso ou da metodologia?

Provavelmente, não! É que estamos tratando de uma área muito ampla, nova e que frequentemente se atualiza. Muito mais do que outras mais tradicionais.

Já percebeu?

  • Bem, então só nos resta fazer testes e correr riscos em meio à estudos e modelos de sucesso?

Também não é para tanto! O segredo está no filtro e na adaptabilidade.

Não entendeu muito bem?

Calma, a gente explica.

Para que você tenha mais chances de obter sucesso em suas táticas, é necessário filtrar o que você recebe e adaptar à sua realidade.

Óbvio, o filtro também serve para ajudar a discernir de quem vale a pena ouvir e/ou se inspirar!

De fato, os especialistas no assunto, os modelos de negócio de sucesso, as obras relacionadas a eles, podem lhe ensinar muito, desde que você tenha a habilidade de analisar e adaptaro que aprendeu dentro da sua necessidade e realidade.

Aí você pode estar se perguntando…

  • Como eu faço para filtrar isso? Quando eu sei que os conselhos se aplicam a mim?

É realmente algo complexo. Afinal, dificilmente um profissional ou empresa serão iguais a você ou ao seu negócio.

Então as experiências adquiridas por esses exemplos de sucesso e fontes de inspiração bem-sucedidas podem se distanciar muito da sua realidade por dois motivos:

  1. A experiência e exemplo são muito segmentados, não servindo para o seu tipo de negócio.

 

  1. São muito exclusivos, fazendo com que você, como iniciante, empresa de pequeno e médio porte, não tenha condições de ter acesso efetivo a eles. Nem justificativas para procurá-los, já que as soluções apresentadas são complexas ao ponto de não atender às suas necessidades.

Ficou desanimado?

Relaxa! Esse não é o nosso intuito, a ideia aqui é lhe orientar para que você possa contar, apenas, com os melhores conselhos, sem perder tempo com aqueles que não vão agregar em nada na sua trajetória.

Quer saber como fazer isso?

Então confira 3 tipos de conselhos sobre marketing digital que você deve ignorar.

Vem com o Mestre do Adwords!

Otimizar até antes de começar é o ideal para obter sucesso

Pare e pense! Agora, responda com muita sinceridade, baseando o seu raciocínio na realidade do seu negócio hoje:

  • O que adianta otimizar qualquer estratégia, seja e-mail marketing, campanhas de links patrocinados, conteúdo, captação de leads, se você ainda não tem, sequer, um parâmetro básico?

O que estamos tentando dizer é que não adianta ouvir o conselho de otimizar os seus anúncios, por exemplo, se você nunca nem exibiu eles à um número satisfatório de pessoas.

Se você está começando, o melhor é ir com calma e encaixar cada tática na hora certa, ou seja, quando houver a verdadeira necessidade.

Otimização quase sempre não é o primeiro passo, nem o segundo…

Ela se encaixa quando a possibilidade de melhorias se apresenta com forte potencial, elevando seus resultados consideravelmente. Caso contrário, o retorno nem justificará o esforço, o investimento, mesmo que seja de tempo somente.

Por exemplo, se você tiver rodando uma campanha Adwords e perceber que está com uma taxa de conversão de apenas 5%,recebendo somente 100 visualizações… Concorda que otimizar com a meta de aumentar a conversão para 10%, talvez, não compense seus esforços?

Ao invés disso, seria mais prudente aguardar mais um tempo e analisar mais profundamente o perfil dos usuários que convertem, o seu mercado e até mesmo, o seu produto/serviço.

 

Antes de seguir um conselho, sinta o seu negócio. Você saberá fazer isso melhor do que qualquer profissional de sucesso que lhe serve de inspiração!

Estar em Todas as Redes Sociais Garante Sempre os Melhores Resultados

Definitivamente esse é um conselho que você não deve seguir. Especialmente, se o seu negócio está começando ou é de médio/pequeno porte.

  • Porque estamos dizendo isso?

Pelo simples fato de que para marcar presença de maneira relevante em cada uma dessas plataformas, é preciso investir muito em duas frentes que, talvez, ainda não estejam sobrando na sua empresa. Isso quer dizer, tempo e dinheiro!

Quando estamos começando ou não temos um grande porte, precisamos ter inteligênciana hora de criar estratégias e adotar atitudes. Isso porque um passo em falso pode nos fazer fechar as portas inesperadamente.

No caso das redes sociais, muitos dizem que elas são absolutamente incríveis para conquistar melhores resultados e é verdade, no entanto, existe uma ressalva nessa afirmação…

Para conquistar esses resultados, é necessário investir. E conseguir fundos para esse volume de investimento, talvez, não seja uma realidade palpável para todos.

E, tem mais! Cada plataforma exige uma abordagem, um tipo de conteúdo, um modelo de anúncio, uma linguagem e para ajustar tudo isso, você será obrigado a investir ainda mais.

Por isso, ao invés de estar presente em todas as redes sociais, foque nas principais, ou seja, naquelas em que os seus potenciais clientes estão mais presentes e ativos.

A Melhor Estratégia Para Quem Está Começando é Focar No Ranking do Google

O Google é imensamente importante? Sim! Ele pode lhe oferecer uma maior visibilidadee, consequentemente, melhores resultados? Também…

O grande problema é que ranquear para as primeiras posiçõesdo buscador mais influente do mundo não é uma tarefa simples, fácil e rápida.

Especialmente, se você estiver começando!

Nós não estamos querendo lhe desencorajar. Apenas queremos que você entenda que focar, apenas, em ranqueamento no início não vai garantir posições extraordinárias de imediato! Pior ainda se as palavras-chaveque você escolher forem muito disputadas.

Entenda, a maioria dos fatores de ranqueamento do Google leva em consideração a sua relevância, a sua autoridade no assunto, e isso também envolve o seu tempo de atuação.

É impossível conseguir liderar as Serps? Não!

Mas, talvez, focar somente nisso seja frustrante…

Por isso, para evitar perdas em um momento que o mais interessante é contabilizar ganhos, invista em áreas diversificadas, visando construir bases sólidaspara o seu negócio, antes de tentar construir novos pavimentos!

Pense em criar um blog com conteúdos relevantes, esteja na rede social onde seu público seja maior, trabalhe com palavras-chave um pouco menos competitivas, tenha um site com estrutura amigável…

Dê um passo de cada vez…

O sucesso é consequência de ações bem estruturadas e adequadas à realidade do seu negócio.

É isso! Esperamos que esse conteúdo tenha sido útil para você.

Até breve.

Forte Abraço.

5 Possíveis Inconsistências da Google Keyword Planner – Entenda

Você já deve estar cansado de saber que a maioria das estratégias de marketing digital levam muito em consideração os estudos de palavras-chave. Certo?

Isso acontece porque esses termos, basicamente, acabam fazendo o papel de ponte entre o que sua marca pode oferecer e o usuário potencialmente interessado.

De modo geral, podemos dizer que o interesse de um potencial cliente é expressado através das buscas, ou melhor, dos termos utilizados na hora de fazer uma pesquisa.

Portanto, você precisa basear campanhas nessa “expressão”, visando escolher as palavras-chave que mais tem potencial de interligar o seu produto/serviço/conteúdo ao usuário que faz essa busca.

Os termos também baseiam a estratégia de SEO, visando posicionar melhor o seu site para determinadas palavras-chave, o que pode lhe gerar um maior número de tráfego e consequentemente conversões.

Pois bem, com o avanço da tecnologia, hoje, nós temos à nossa disposição, diversas ferramentas que nos ajudam a entender melhor como acontecem essas pesquisas.

Claro, a partir delas, conseguimos saber o volume das buscas e de concorrência, os termos mais utilizados e, até mesmo, valores médios para criar uma campanha de links patrocinados utilizando essas palavras.

Uma das ferramentas mais utilizadas para atingir esse objetivo é a Google Keyword Planner. Considerada uma das mais completas do segmento.

  • É claro que você também já sabia disso, não é mesmo?

A questão é que o planejador de palavras-chave da Google vem mudando ao longo do tempo. E, hoje, apesar de muitos não saberem, fazendo com que seus esforços sejam em vão, ela apresenta possíveis inconsistências.

Você pode estar questionando nesse momento…

  • Então é melhor deixar de utilizar a Keyword Tool em minhas estratégias?

A resposta é não! Na verdade, você precisa ficar atento para não acabar sendo levado ao erro…

E é justamente com relação a isso que queremos lhe ajudar hoje!

Vem com o Mestre do Adwords e descubra 5 possíveis inconsistências da Google Keyword Planner.

1ª Possível Inconsistência da Google Keyword Planner – Volume Médio de Buscas

Calma, não vai acreditando que tudo e qualquer resultado do volume médio de buscas que a Google Keyword Planner exibe é inconsistente.

A verdade não é bem essa! O fato está em algumas ocasiões, onde o resultado pode se apresentar um tanto quanto distorcido.

Veja bem…

A maioria dos profissionais utiliza a ferramenta para procurar termos potencialmente favoráveis às suas campanhas.

Ao receber o relatório, é possível visualizar um valor que indica o volume médio de buscas mensais para cada uma dessas palavras-chave. Diante dele, esses profissionais analisam quais devem incluir em sua lista.

O grande problema está justamente aí…

  • Você sabe exatamente como a Google estipula esse número?

Se a resposta for negativa, infelizmente, esse erro é só seu! Não que você seja o único, no entanto essa informação está disponibilizada no próprio manual da plataforma. Que, certamente, você não leu!

Para não ocorrer mais confusões e perdas, vamos deixar bem claro. O valor médio de buscas que é exibido no planejador de palavras-chave é calculado com base nos últimos 12 meses.

  • Não entendeu onde está a inconsistência?

Pois bem, então vamos à um exemplo!

  • A média de 15, 150 e 1500 é 555.
  • Porém, se você tiver mexendo com volumes muito extremados, como 15 e 1500, a média seria um tanto quanto distorcida da realidade.

De maneira básica, o que estamos tentando lhe dizer é que acreditar literalmente no valor apresentado, ao invés de verificar o contexto, pode lhe levar ao erro.

Pense bem, se o seu nicho costuma crescer em um período sazonal, um termo em específico pode sofrer variações capazes de tornar a média de buscas inconsistente.

Como falamos no início, não estamos lhe dizendo para abandonar a ferramenta, apenas, para ficar atento na análise.

Nesse caso, para não ter problemas com o volume de buscas, em casos como esse, prefira trabalhar com o volume central do relatório.

Essa pode ser uma solução para projetos menores e esporádicos, já que será impossível manter a produtividade tendo que extrair dados individualmente.

Então como outra solução, você pode verificar a dimensão das pesquisas durante os meses descansando o mouse sobre o termo.

Dessa forma, você consegue perceber se a variação das buscas é linear ou muito variável, podendo avaliar de forma mais segura se vale a pena ou não investir na palavra-chave em questão.

Outra dica é utilizar o Google Trends como apoio de investigação para entender as tendências de buscas para o termo. Além disso, ele pode lhe dar ideias de variações potencialmente interessantes para a sua estratégia.

2ª Possível Inconsistência da Google Keyword Planner – Arredondamentos

Infelizmente é um fato! Os números que demonstram o volume médio de buscas dentro da plataforma não são exatos e sim arredondamentos.

À primeira vista, pode parecer algo sem tanta importância, mas não é bem assim se formos verificar a possibilidades de forma mais profunda.

Faça um teste e verifique que o volume pode se manter inalterado, mesmo que os locais sejam diferenciados.

Isso porque a Google agrupa o volume de termos com similaridade em um único índice/bloco.

Dessa forma, se a estratégia visa segmentar com poucos termos long tail, o potencial máximo dela é de alcançar os 10 primeiros lugares do ranking de buscas.

Agora, se a tática for utilizar volumes de pesquisas por mês em maior escala, ou seja, utilizar os principais termos do nicho em questão, essa inconsistência pode apresentar diferenças absolutas, chegando até 10 mil buscas mensais entre palavras-chave.

Quer um exemplo?

  • Imagine que você quer entender os índices para “jogo de futebol” e “resultados de futebol”.
  • Nesse caso, é provável, pela similaridade dos termos, que o resultado do volume médio de buscas mensais seja igual. Vamos considerar 100 mil para ambos.

Pode parecer algo inofensivo, já que elas realmente pertencem ao mesmo universo, certo?

Infelizmente, não é assim que ocorre!

Um estudo realizado por Russ Jones revelou que a Google possui mais de 80 blocos com essas características, ou seja, que agregam termos similares e exibem o volume de tráfego médio de maneira arredondada, levando em conta a proporcionalidade.

O problema é que também foi descoberto que quanto mais pesquisas um termo registra dentro desse cenário, menos exatos e consistentes são os índices apresentados.

A equipe que fez parte do estudo, acabou chegando a terrível conclusão de que os maiores blocos apresentam uma diferença de cerca de 250 mil buscas mensais.

  • Tem como lidar com essa falha de forma a não atrapalhar os seus resultados?

Sim! Compatibilizando esses índices do Keyword Planner com os dados do seu Analytics e de outras ferramentas de análise.

Claro, o recomendado é que você se preocupe mais com termos que não sejam long tail, até porque, para esse tipo de palavra-chave, as variáveis são quase que inexistentes.

3ª Possível Inconsistência da Google Keyword Planner – Monopólio de Nichos

É difícil constatar isso, mas de fato alguns nichos já foram monopolizados no Google, tornando quase impossível ter algum resultado positivo utilizando determinadas palavras-chave.

O que estamos lhe dizendo não é especulação. Um estudo da Viper Chill mostrou que menos de duas dezenas de empresas pelo planeta dominam os rankings da Google.

Claro, nem todos os nichos são monopolizados, no entanto, muitos dos que são, acabam apresentando uma SERP pouco relevante para termos específicos.

Aí você pode querer perguntar:

  • O que o monopólio de nichos tem a ver com os meus estudos de palavras-chave?

Você provavelmente não sabe, mas alguns nichos só “aceitam” que determinados tipos de sites utilizem o termo em questão e apareça nos resultados de buscas.

Ou melhor, você até pode utilizar a palavra-chave, mas dificilmente será capaz de bater de frente com os concorrentes que dominam a SERP.

Faça um teste…

Se você buscar no Google agora o termo “Tênis Masculino”, vai perceber que o domínio do resultado de buscas vai ser das lojas virtuais.

Usando esse exemplo, podemos dizer que se você tem um blog de moda e deseja ranquear para essa palavra-chave, sua dificuldade será maior!

Você precisa ficar atento à essa inconsistência, porque muitas vezes, esses termos ligados aos nichos monopolizados costumam aparecer nas ferramentas de palavras-chave como se tivessem baixa concorrência.

O que de fato, não é verdade!

4ª Possível Inconsistência da Google Keyword Planner – Dados Parciais

Como falamos no início, confiar em apenas uma fonte de dados não é uma das escolhas mais inteligentes quando o assunto é análise de palavras-chave e/ou estratégias que as envolvem.

Infelizmente, com o passar dos anos, o planejador de palavras-chave da Google se modificou e, hoje, está ainda mais restritivo quanto às informações que disponibiliza.

Claro, isso não começou a acontecer agora! Essa inconsistência que acaba por exibir dados parciais, foi percebida lá atrás, ainda em 2012, e compartilhada através de um relatório publicado na Moz.

Tudo aconteceu quando um relatório de termos que enviava tráfego para o site foi retirado do Analytics.

Dessa lista, foram selecionadas as palavras-chave principais, as quais foram submetidas à consulta na Keyword Planner. A ideia era verificar as sugestões.

A surpresa se iniciou nesse momento! Muitas palavras-chave não apareceram no planejador da Google.

Aí você pode pensar…

  • Isso aconteceu porque os termos eram específicos demais, então o Google não tinha dados para exibir sobre eles!

Errado! Ao fazer uma pesquisa focada e exata, os dados foram exibidos! Ficando claro que houve uma seletividade da plataforma, onde dados parciais foram priorizados em pesquisas amplas.

Diante disso, outro fato se evidenciou. Mais da metade dos termos conexos não apareceram na lista de sugestões da Keyword Planner.

Mais uma vez é preciso salientar que a ferramenta é sim de grande valia, no entanto você não pode ser literal em confiar apenas no que ela lhe apresenta. Afinal, isso pode significar perder muitas possibilidades.

Para diminuir um pouco dessa inconsistência, é interessante que você compatibilize as informações fornecidas pelo planejador com o de outras ferramentas.

É uma ótima ideia, por exemplo, olhar dados de determinadas palavras-chave, diretamente no buscador. E, claro, trabalhar com plataformas independentes que, inclusive, mostram como os seus concorrentes estão trabalhando, como o SEMRush.

5ª Possível Inconsistência da Google Keyword Planner – Dados Variáveis

Recentemente, aqui, no Mestre do Adwords, nós recebemos um questionamento de um anunciante.

Ele dizia não entender porque a Keyword Planner não exibe valores para algumas palavras-chave.

De fato, é difícil saber exatamente o motivo. Afinal, pode ser que o termo em questão:

  • Não tenha volume de pesquisas o suficiente para ser relevante.
  • Tenha baixo índice de qualidade.
  • Esteja abaixo das previsões de lance para primeira página.
  • Tenha baixo volume de correspondências de página.

Mas, se formos analisar o cenário geral, podemos atribuir, também, à essa falta de informações, as mudanças que a plataforma vem sofrendo ao longo dos anos.

Em meados de 2016, por exemplo, uma atualização promovida pela Google no planejador, fez com que os índices que exibiam o volume exato das buscas simplesmente desaparecessem.

Para substituí-los, agora são exibidas médias. Como de 1mil – 10 mil!

A explicação para a modificação foi a de otimizar a ferramenta, evitando que houvessem inconstâncias na utilização, que eram causadas por erros devido ao excesso de pesquisas realizadas pelos “Bots”.

O “X” da questão, que gerou muitos debates entre profissionais da área, está, justamente, no ponto de que os dados têm exibição variada, dependendo do tipo de investidor.

Sim! Há muitos relatos de que pequenos e médios anunciantes sofreram com as mudanças, recebendo apenas estimativas e previsões, enquanto grandes investidores recebiam informações mais consistentes e completas!

Você também percebeu isso?

Bem! Resumidamente, você precisa entender que, por mais que a ferramenta da Google seja extremamente valiosa, ela também apresenta possíveis inconstâncias que devem ser consideradas, principalmente, no momento em que você estiver fazendo análises e montando a sua estratégia de palavras-chave.

Fique sempre atento e utilize outros recursos para fomentar ainda mais as suas táticas!

Esperamos ter lhe ajudado!

Se ficou com dúvidas, não as guarde somente para você! Mande sua pergunta para nós através do campo de comentários logo abaixo.

Será um imenso prazer poder lhe ouvir e, quem sabe, ajudar!

Desejamos-lhe sucesso sempre, a gente se vê.

Forte Abraço.

Smarketing – O que é e Como Funciona?

Você já ouviu falar de Smarketing? Sabe exatamente como funciona ou porque ele é importante para o seu negócio?

Bem, se a sua resposta foi negativa, não se preocupe, pois nós iremos lhe ajudar hoje a entender melhor esse assunto.

No entanto, recomendamos que não perca tempo, pois não ter o domínio e o conhecimento do smarketing, pode estar comprometendo os seus resultados.

Infelizmente, provavelmente, até aqui, você deixou muito dinheiro na mesa, por simples falta de conhecimento.

A gente sabe que não é fácil estar ligado em tudo o tempo todo, mas não podemos deixar você jogar seus esforços pelo ralo!

Por isso estamos aqui agora. Vem com o Mestre do Adwords e saiba tudo que ninguém te conta sobre o smarketing.

Afinal, o que é Smarketing?

Para que você entenda o smarketing, é importante que faça uma reflexão primeiro. Com o foco em seu negócio, procure encontrar a resposta para a seguinte pergunta…

  • Quais são os dois setores do seu negócio que mais podem gerar impacto em seus resultados?

Se depois de pensar bem, e considerar outras variáveis, você respondeu marketing e vendas…. Então está no caminho certo.

  • Mas o que o setor de marketing e vendas tem a ver com o Smarketing?

Na verdade, tudo!

É que a fusão entre esses dois setores, dentro de um negócio, é considerada uma estratégia de smarketing.

De forma direta, podemos dizer então que o smarketing é uma estratégia muito adotada por negócios que visam impulsionar seus lucros, oferecendo para isso, uma melhor experiência ao usuário através da junção do setor de marketing e vendas.

É claro que essa mudança também favorece a gestão e a adoção de outras estratégias, assim como um maior conhecimento do potencial cliente e de sua jornada como consumidor dentro do negócio, tornando as ações mais assertivas e mais bem direcionadas.

A origem do termo vem da fusão das palavras marketing e sales, ou seja, em português, marketing de vendas!

  • Sem dúvidas, agora você percebeu que já tinha ouvido falar em smarketing, certo?

Sim, o marketing de vendas e o smarketing são as mesmas coisas!

 

A grande questão aqui é que, apesar de parecer algo muito simples e comum no universo digital, essa estratégia envolve muito mais complexidade do que costumam dizer por aí!

Para ter um forte potencial de impulsionar resultados, o marketing de vendas precisa ser muito bem desenvolvido e analisado. Principalmente porque exige uma sincronia perfeita entre os dois setores mais impactantes do seu negócio.

Não podemos mentir, fazer essa sincronia se harmonizar não é fácil, até porque a rotina e, até mesmo, a certa disputa típica entre a área de marketing e vendas acabam por acrescentar mais uma dose de complexidade.

No entanto, se você fizer com que elas deem as mãos e andem em conjunto, ombro a ombro, os resultados valem muito a pena.

Quais são as principais vantagens do Smarketing?

Sem dúvidas, você já percebeu alguns benefícios desse tipo de estratégia, mas talvez não tenha se convencido ainda de que ela pode ser muito poderosa para o seu negócio.

Por isso, vamos lhe apresentar as principais vantagens para que você tenha uma visão mais próxima das possibilidades e, assim, tire suas próprias conclusões sobre se o smarketing é para você ou não.

1ª Vantagem – Todos caminhando em busca de um mesmo objetivo

Ao aplicar o smarketing em seu negócio, você conquista a vantagem de ter todo o seu time caminhando em busca de um mesmo objetivo.

O que, automaticamente, lhe dá mais chances de conquistá-lo com maior rapidez, inclusive!

Ter uma equipe harmônica, sem dúvidas, é o sonho de qualquer marca!

2ª Vantagem – Maior Volume de Conversões

A vantagem número 2 é consequência direta da primeira. Ou seja, quando você tem todas as áreas da sua empresa trabalhando conjuntamente, com o mesmo propósito e objetivo, as chances de sucesso aumentam consideravelmente.

Isso faz com que ocorra um maior volume de conversões!

3ª Vantagem – Maior Destaque Frente aos Concorrentes

Quando se tem funcionários satisfeitos, motivados e que ocupam posições em um time campeão, que tem ótimos números, é impossível que esse clima não extrapole as “paredes” da empresa e ganhe o mundo externo.

Concorda?

Com tudo correndo bem, o reconhecimento do seu mercado e de seus clientes faz com que ocorra um maior destaque da sua marca frente aos concorrentes.

Se convenceu de que as vantagens são realmente interessantes?

Então vem com a gente e descubra como aplicar o smarketing da melhor forma.

Então vem com a gente!

Como utilizar o smarketing para que ele dê resultados positivos?

Você já deve saber que o smarketing, se bem aplicado, pode significar um belo avanço para o seu negócio, certo?

Porém, para conseguir extrair ao máximo dessa estratégia, há algumas boas práticas que será necessário adotar.

Nós vamos apresentar três pilares para que você construa a base perfeita, fique atento e anote tudo se preferir…

1º – Harmonizando as áreas de venda e marketing

Para que você consiga fazer essa junção, será preciso antes fazer uma boa análise de ambas as áreas. Primeiro individualmente, depois em conjunto.

De maneira resumida, essa fase deve ser de reflexão e planejamento…

Visando responder questões, como:

  • Como cada setor pode colaborar com o outro?
  • Quais atuações que eram feitas separadas que a partir do smarketing podem ser otimizadas se feitas em conjunto?
  • Qual a deficiência/dificuldade de cada setor que o outro pode complementar/sanar?

Obviamente, você perceberá a necessidade de responder outras perguntas, mas essas vão lhe dar um bom direcionamento para que na hora de implementar essa fusão, ela ocorra da melhor forma, com erros mínimos e corrigíveis.

2º – Análise Individual e Comparatória dos Setores para Gerenciamento

Nessa segunda fase, você já conseguiu entender como fazer essa junção da melhor maneira, mas quando elas estiverem juntas, vai ser necessário continuar analisando.

O objetivo, nesse caso, é aplicar um bom gerenciamento dessas áreas. Para que o desempenho seja sempre de máximo nível.

Para conseguir entender a fundo o andamento da estratégia, crie relatórios detalhados a partir de análises profundas individuais e comparatórias do setor de marketing e vendas.

Só tome cuidado para não dar uma abordagem diferenciada para cada setor na hora da análise. Caso contrário, os resultados observados podem ser comprometidos.

3º – Análise das Métricas de Desempenho

Assim como toda e qualquer estratégia, o smarketing também precisa ser acompanhado de perto para que seja possível obter os resultados almejados.

Então, aplique-se em fazer análises recorrentes das métricas de desempenho. Afinal, desse modo, será possível entender o que é preciso otimizar e o que está dando certo!

Atenção! Por se tratar de uma estratégia que envolve duas áreas, é imprescindível visualizar também as ações individuais, mesmo que elas sejam praticadas de forma conjugada.

 

E, aí! Pronto para colocar a mão na massa?

Esperamos ter lhe ajudado.

Até logo.

Forte Abraço.